Logotipo, logomarca, marca e Branding: entenda a diferença desses (e outros) conceitos

Atualizado: 19 de jul.


É comum as pessoas confundirem esses termos e utilizarem de forma equivocada - não, estes termos não são a mesma coisa -, até mesmo profissionais da área de marketing e comunicação. Hoje você vai aprender de uma vez por todas o significado de cada um com explicações objetivas e muitos exemplos. Vamos lá!


Logotipo ou logo



Tá lendo meu nome acima, certo? Esse é o meu logotipo. Representa graficamente a minha marca através de letras. O termo vem do grego logos que se traduzia inicialmente como a palavra escrita ou falada mas, a partir de filósofos gregos, passou a ter um significado mais amplo e se referir também a conceito, significado, razão de existir; typos significa letra, forma.


Toda marca tem um logotipo e todo logotipo é formado por letras. Veja outros exemplos de logotipo:


Vale dizer que a tipografia (grapheinescrita) é o processo de criação na composição de um texto, física ou digitalmente. "Times New Roman" e "Arial" são exemplos clássicos de tipografia.



Logomarca


Logo + marca. Esse é um grande neologismo já que as duas palavras possuem o mesmo significado! Vimos acima que logos significa conceito. Bem, marca vem do germânico marka (pelo latim medieval marcus) e tem a mesma tradução.


É utilizado para se referir ao ícone ou desenho que representa a marca graficamente mas, como já entendemos que está errado, vamos aprender a forma correta?



Símbolo

A primeira coisa que você vê acima é o meu símbolo. Ele representa a minha marca graficamente através de um ícone/desenho. Agora sim estamos nos referindo da maneira certa #adeuslogomarca .


Nem toda marca constrói um símbolo. Essa deve ser uma escolha estratégica de cada uma. A Coca-Cola, por exemplo, reforça outros elementos que não um símbolo, como as suas próprias cores. Outro caso é o Uber que também aposta apenas no logotipo.


No meu caso a Letícia Maiara, designer responsável pelo projeto gráfico, trouxe a silhueta de uma girafa somada a um feixe de luz que, juntos, sintetizam o que eu quero comunicar. Vou te contar os detalhes:


↣ Meu quarto na infância foi todo de girafinhas e amarelo

↣ Ela é o animal mais alto do mundo e eu tenho 1.98m - pasme!

↣ Enxerga tudo de cima sem tirar os pés do chão - equilíbrio

↣ A luz traduz a orientação e o desejo de ensinar, mostrar o caminho, iluminar pessoas.


Tem símbolo que, de tão reconhecido, consegue ser aplicado sozinho e gerar grande impacto visual. É o caso da maça mordida, né? Já sabemos de quem se trata quando encontramos essa representação gráfica por aí.


A Apple figura na lista de marcas mais valiosas no mundo em 2022, segundo levantamento produzido pela empresa Kantar. A multinacional focada na produção de produtos eletrônicos, como o iPhone, agora possui o maior valor, totalizando US$ 947,06 bilhões.


O símbolo genial da Todavia - editora brasileira fundada em 2016 - representa o movimento da boca ao pronunciar cada sílaba (fale aí baixinho pra você ver!). Além das boquinhas, a marca também conta com uma tipografia que é utilizada em toda a experiência, desde o logotipo até o miolo dos livros -menos nas capas que são feitas para cada obra. Reforçam no seu manifesto que procuram restaurar – em todo o ambiente do livro – a atmosfera de uma conversa gentil e letrada entre as gerações. Veja essa entrevista com os designers Pedro Inoue e Daniel Trench sobre a criação da marca e do projeto gráfico clicando AQUI.


Marca


É a composição de elementos como logotipo, tipografia, símbolo, cores, sons, texturas, elementos nas mídias digitais e tantos outros que buscam gerar conexão com o público de forma única. É a junção de todos os processos citados acima.


Ela cria o ambiente para que você perceba quem é a empresa e o que ela quer transmitir. Todos os elementos de um projeto de identidade visual atuam como coadjuvantes da marca com o objetivo de potencializá-la, como se fossem escudeiros de um cavaleiro, a fim de fixa-la na mente do seu público.



Vejamos a definição do pai do Marketing, Philip Kotler. Ele diz que marca é

Um nome, termo, sinal, símbolo ou desenho, ou uma combinação dos mesmos, que pretende identificar os bens e serviços de um vendedor ou grupo de vendedores e diferenciá-los dos concorrentes. Um nome de marca é aquela parte da marca que pode ser pronunciada ou pronunciável.

Já o Jeff Bezos, CEO da Amazon, diz que


Marca é o que as pessoas dizem sobre você quando você não está no quarto.

Geralmente um projeto de identidade visual é acompanhado por um manual de marca (ou brand book), que é um documento onde se coloca todas as diretrizes de aplicação e utilização correta da mesma. Quer ter acesso a um brand book de uma grande marca? Clique na imagem abaixo e baixe o manual da marca do Spotify.


Clique na imagem



Branding


A síntese de tudo o que você viu acima e um pouco mais. Branding conecta o que a marca é, faz e fala. É DNA: apresenta, interage, troca experiências e constrói percepções profundas de corpo e alma. Ele é um modelo de gestão que coloca a marca no centro.


É importante que você tenha acesso a outro conceito sobre marca a partir do David Aaker, considerado o "pai do Branding". Ele começa a obra On Branding questionando "O que é uma marca?" para, na sequência, responder que

Muito mais do que um nome e um logo, ela é a promessa de uma empresa ao cliente de concretizar aquilo que ela simboliza em termos de benefícios funcionários, emocionais, de autoexpressão e sociais. Mas uma marca é mais do que uma promessa. Ela também é uma jornada, uma relação que evolui com base em percepções e experiências que o cliente tem todas as vezes que estabelece uma conexão com a marca.

Percebe a profundidade conceitual? Aqui fica claro a importância do Branding e como ele é um caminho a ser estabelecido. Branding é o que fecha o espaço de percepção entre o que a marca é e o que quer ser (segundo agência Ana Couto). Traz personalidade,

experiência, comunicação e cultura. É o que faz a Apple ser percebida apenas por uma maça mordida e, a partir desse reconhecimento, gerar uma memória no consumidor.



O que vem à sua mente quando vê a imagem acima? Quais são os sentimentos? Quais impactos essa marca têm na sua vida? O que te faz lembrar o Nubank?


Branding é todo o universo verbal e visual de uma marca. Sem o Branding estruturado é impossível construir uma identidade de marca, pois é ele quem define a essência que será desdobrada em conteúdos visuais, experiências únicas e conexões genuínas.



Conclusão


Trouxe de forma bem simples o significado de cada termo. Você pode encontrar outras formas de apresentar os mesmos conceitos por aí. Isso porque muitas áreas utilizam essas terminologias, como por exemplo o Direito e o Design Gráfico, e fazem outras análises para caber nas suas aplicabilidades.


Na minha consultoria de marca & estratégia nós mergulhamos na (re)construção da arquitetura da sua marca, seja Pessoal ou corporativa. Aqui você expande o seu alcance e potencializa o seu trabalho de forma autêntica e respeitando suas individualidades. Clique AQUI para conhecer o processo e agendar um encontro gratuito comigo.


Problema resolvido? Deixe abaixo as suas percepções sobre o tema e compartilhe com outras pessoas esse artigo. 🤍


⋯⋯⋯⋯⋯⋯⋯⋯⋯⋯⋯⋯⋯


Referências bibliográficas:

ANTISERI, Dario; REALE, Giovanni. História da Filosofia (vol. I). 3. ed. São Paulo: Paulus, 1990. Disponível em https://marcosfabionuva.files.wordpress.com/2012/04/reale-g-antiseri-d-historia-da-filosofia-vol-i.pdf . Acesso em 16 de julho de 2022.

https://www.portalsaofrancisco.com.br/filosofia/logos . Acesso em 16 de julho de 2022.

KOTLER, Philip. Marketing para o século XXI: Como Criar, Conquistar E Dominar Mercados. Tradução: Bazám Tecnologia e Lingüística: Cristina Bazám. 6º ed. São Paulo: Futura, 1999. Acesso em 16 de julho de 2022.

https://chiefofdesign.com.br/o-que-e-branding-marca-e-identidade-visual/ . Acesso em 16 de julho de 2022. https://www.youtube.com/watch?v=gk1liwFseQs . Acesso em 16 de julho de 2022.

https://www.kantar.com/campaigns/brandz/global . Acesso em 16 de julho de 2022.

AAKER, David. On branding: 20 princípios que decidem o sucesso das marcas. Porto Alegre: Bookman. 2015

60 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo